OPTIQ® e Fintechs: Motores de Inovação
Paulo Rodrigiues da Silva, CEO Euronext em Portugal

OPTIQ®, a nova plataforma de negociação global da Euronext

No centro da atividade dos mercados de capitais está a tecnologia. O serviço é digital, os volumes muito grandes, a execução de transações realiza-se em microssegundos, mais de 50% do trading já é baseado em algoritmos. O desenvolvimento contínuo das plataformas, a conectividade e cibersegurança são componentes críticas do serviço e todas as atividade são intensivas em informação. A tecnologia e os dados definem hoje o negócio. É assim no sector financeiro, nos mercados de capitais e, obviamente, é assim na Euronext.

Ter competências, inovação e controlo da tecnologia, é uma vantagem competitiva determinante. Por isso, em 2015, a Euronext decidiu desenvolver uma nova plataforma de negociação global: o Optiq®.

A primeira fase, com a Market Data Gateway (MDG) para os mercados de Cash e Derivados, foi implementada em 2017. A segunda fase, com a efetiva migração da negociação para o Optiq®, através da implementação da Order Entry Gateway (OEG) & Matching Engine (ME), foi iniciada em Abril deste ano para o Fixed Income e concluída agora, no passado dia 25 de Junho, para os restantes mercados de Cash. A concretização com sucesso deste projeto, certamente o mais complexo e exigente realizado pela Euronext desde o seu IPO, é um marco essencial.

O Optiq® é muito importante porque nos coloca na liderança com uma plataforma multiproduto e multimercado, totalmente compatível com a MIFID II, com capacidades tecnológicas das mais avançadas do mercado. A performance é superior, tanto na capacidade como na previsibilidade da latência, fatores absolutamente decisivos para a qualidade do serviço de negociação. Provavelmente mais importante ainda é a modularidade e flexibilidade da plataforma, que proporcionará desenvolvimentos mais rápidos, mais eficientes, com maior facilidade de implementação de novos produtos, serviços e funcionalidades para os nossos Clientes.

A integração de Fintechs na Euronext

Outra dimensão de inovação na Euronext é a avaliação e exploração de oportunidades externas, nomeadamente no ecossistema de Fintechs.

A atividade das Fintechs no mercado de capitais é muito relevante. Um estudo da McKinsey identificou cerca de 400 Fintechs em atividades de Capital Market Infrastructures (CMI) no final de 2016, o que representa um crescimento de 277% desde 2010 (o qual é superior ao do número de Fintechs em Banca e na área de Pagamentos, que se situou em torno de 185%). Em paralelo A BCG identificou mais de 990 rondas de financiamento em CMI Fintechs desde 2011, no valor global de USD 5.3 billion.

E o que fazem estas Fintechs nos mercados de capitais?
Basicamente têm vindo a endereçar toda a cadeia de valor, desde o Acesso a Capital, a Negociação (Pre-Trade, Execução e Post-Trade) e Suporte. A maior atividade tem sido na Negociação (ex: Algorithmic Trading, Robo-Advisors, Robotic Process Automation). O Acesso a Capital, embora bastante visível nos media (ex: Crowdfunding, ICOs) tem uma expressão relativamente limitada, e no Suporte salienta-se o apoio a obrigações regulatórias (RegTech) e gestão de riscos (Surveillance, Cybersecurity). Mas, provavelmente a área de maiores investimentos é neste momento tudo o que se relaciona com Data & Analytics, nomeadamente com a utilização de Artificial Intelligence, abordando oportunidades em toda a cadeia de valor, da liquidez à negociação, da previsão de riscos à automatização de decisões, à criação de novos ecossistemas de informação pela monetização de novos datasets.

No entanto, até agora, estas CMI Fintechs não tem sido capazes de verdadeiramente criar novas infraestruturas de mercado ou novos ecossistemas disruptivos, porque os Clientes têm mostrado uma relevante resistência à mudança. Desta forma, a atividade das Fintechs têm evoluído cada vez mais para a cooperação ou integração com os incumbentes e as CMI Fintechs apoiadas por Bancos de Investimento representam já mais de 50% do total (era apenas 2% em 2011). O sucesso tem estado muito mais em iniciativas partilhadas com a indústria ou em aquisições pelas instituições financeiras mais relevantes, do que propriamente em atividades disruptivas.

Na Euronext, nos últimos 2 anos, temos estado bastante ativos nesta cooperação ou mesmo integração com Fintechs. No alargamento da atividade a mercados adjacentes, com a aquisição da Fastmatch, uma plataforma digital de negociação cambial (forex) e com a tomada de uma participação minoritária na Algomi, para desenvolver o mercado de negociação de Corporate Bonds. Nos Corporate Services, com a aquisição de 4 start-ups – Webcast, IR Manager, iBabs e Insider Log - para alargar os serviços a Clientes, nomeadamente na relação com investidores e também no cumprimento de obrigações regulatórias. E na criação de uma nova empresa – a LiquidShare –, em parceria com outras entidades do ecossistema financeiro, para o desenvolvimento e implementação de uma plataforma inovadora, end-to-end, baseada em DLT (Distributed Ledger Technology, i.e. blockchain ou similar) destinada o financiamento de pequenas e médias empresas.

No mundo atual a abertura à inovação externa é essencial, como forma de acelerar o desenvolvimento de novos conceitos, produtos, serviços e de explorar novas áreas de negócio. Desta forma, em paralelo com a autonomia e flexibilidade proporcionada pela nossa plataforma tecnológica Optiq®, a Euronext vai continuar a avaliar oportunidades de cooperação ou integração externa. A inovação e a tecnologia são elementos centrais da nossa estratégia.

Raize – a empresa-gazela cotada na Euronext Lisbon

Foi com grande satisfação que celebrámos em Julho a entrada de uma nova empresa portuguesa no Euronext Access – a Raize, Serviços de Gestão, S.A. (“Raize”). A Raize concretizou o seu IPO com uma dispersão de 15% do capital através de uma oferta pública que culminou com a entrada de mais de 1.400 novos pequenos investidores no seu capital, que efetuaram pedidos de subscrição equivalentes a 3.7x a oferta..

Celebração de primeiros

A Raize é a primeira entidade de crowdfunding autorizada em Portugal, tendo assumido desde a sua génese um carácter inovador ao introduzir em Portugal a 1ª plataforma de peer-2-peer lending e, mais recentemente, ao introduzir um mercado secundário onde os seus investidores podem adquirir ou ceder posições em empréstimos em curso.

Mas a inovação da Raize está também patente no seu processo de admissão à negociação no mercado de capitais. Desde logo por ser a primeira  empresa europeia no seu sector a decidir abrir o capital em bolsa. Mas, também, por se tratar da primeira start-up em Portugal a fazê-lo e a primeira empresa em Portugal a decidir fazê-lo através do Euronext Access. O mercado de entrada na Euronext, proporciona um acesso facilitado para que as empresas possam desde uma fase inicial do seu desenvolvimento beneficiar das vantagens proporcionadas pelo mercado de capitais e, através do mesmo, aceder ao capital necessário para crescer e evoluir no mercado de capitais transferindo-se para mercados sucessivamente mais sofisticados[1].

De entre os vários benefícios proporcionados pelo mercado de capitais e que motivaram a decisão dos seus acionistas e da equipa de gestão em promover o IPO podem destacar-se três: (i) reforçar a notoriedade e credibilidade da empresa, (ii) proporcionar ao mercado um melhor acompanhamento e visibilidade sobre a Raize – perspetivando o contributo positivo desejável na dinamização da sua atividade – e (iii) alargar a base acionista e facilitar aumentos do capital.

E para além do contributo e das iniciativas que a Euronext promove habitualmente para promover as empresas cotadas e em particular as empresas de base tecnológica[2], acreditamos que a Raize poderá encontrar na Euronext o capital necessário à promoção do seu desenvolvimento.

Efetivamente a Euronext é a bolsa líder na Europa continental no segmento de empresas tecnológicas contando com cerca de 350 empresas, uma capitalização bolsista total de € 70 mil milhões e cerca de 950 investidores institucionais ativos. De assinalar ainda que dos € 12 mil milhões angariados desde 2013 pelas empresas que fizeram o seu IPO neste mesmo período, 66% resultaram de ofertas secundárias, posteriores à admissão inicial em bolsa, proporcionando assim o capital necessário para que prossigam as suas estratégias de crescimento, naquela que é a principal missão do mercado de capitais: ser a plataforma para o financiamento da economia real.

A diversificação das fontes de financiamento constitui um desafio fundamental da nossa economia, essencial para que as empresas possam beneficiar do capital necessário para o seu crescimento e para a sua sustentabilidade, enquanto têm oportunidade de promover com mais liberdade a sua estratégia de desenvolvimento. Mas para que a diversificação das fontes de financiamento se concretize, é necessário promover também a diversificação das aplicações de investimento por parte dos aforradores. E é interessante assinalar como desde a sua criação, a Raize tem vindo a promover através da sua atividade formas alternativas de investimento e agora beneficia através do seu IPO de fontes de financiamento também diversificadas, com a entrada de mais de 1.400 novos acionistas no seu capital.

Inicia-se agora uma nova fase da vida da Raize. Uma fase de novas oportunidades, também de novos desafios, e para os quais desejamos o maior sucesso. Fazemos igualmente votos de que esta operação, – ainda que reconhecendo as suas especificidades – tenha um contributo positivo na dinamização do mercado de capitais nacional.
Desde logo, ao motivar outros acionistas, empreendedores e gestores a aproveitar o mercado de capitais para com mais facilidade angariar os fundos necessários à concretização das suas estratégias, assegurando em simultâneo maior independência e uma base de investidores mais alargada. Também a todo o ecossistema para que este venha a apoiar o tecido empresarial português na concretização dos seus projetos. Por fim, aos investidores – institucionais ou particulares, – para que venham a canalizar os seus investimentos para instrumentos de investimento no mercado de capitais. Porque certamente um mercado de capitais mais dinâmico se refletirá também numa economia mais pujante.

Comunicado de  imprensa aqui

A equipa da Euronext Technologies está a crescer... E temos vagas em aberto

A Euronext Technologies, empresa de tecnologias de informação para todo o Grupo Euronext, que gere as Bolsas de Lisboa, Paris, Amsterdão, Bruxelas, Dublin, encontra-se a desenvolver o seu programa de estágios anual, Trainees Program, que este ano contará com a integração de 19 profissionais de excelência. 

Os estagiários selecionados terão a possibilidade de desenvolver as suas competências técnicas, com o acompanhamento de colaboradores seniores altamente especializados, dentro dos seguintes Departamentos: Information Security, DevOps (Tools & Automation; Application & Integration), IT Solutions (desenvolvimento de Software), Factory (Redes/Sistemas), End User Computing, Data Services (Big Data), Service Management, Service Operations

Para além da gestão das operações e serviços de tecnologias de informação para todo o Grupo Euronext, os candidatos selecionados terão a oportunidade de trabalhar em projetos para empresas que utilizam os seus sistemas, de renome no mercado financeiro, como a Morgan Stanley e a HSBC.

Adicionalmente a este Programa, a empresa encontra-se a recrutar para as seguintes posições:

  • IT Architect
  • DevOps Application & Integration Engineer
  • Data Steward – Master Data Management

Recursos Humanos
PRT_HumanResources@euronext.com

O Futebol e a Bolsa

O Campeonato Nacional terminou, o Mundial também, mas a bol(s)a não para. E as obrigações emitidas pelas SAD cotadas são sinal desse dinamismo. Em Maio, a Porto SAD emitiu 35M€ em obrigações a 3 anos que foram colocadas em 3.212 investidores particulares. A Benfica SAD não ficou atrás e em Julho também emitiu 45M€ de obrigações subscritas por 3.256 investidores. Ambas as emissões foram objeto de forte procura e interesse nos meios de comunicação. As sessões de apresentação dos resultados das operações foram muito concorridas e mais uma oportunidade para a Euronext demonstrar o seu compromisso de apoio às empresas cotadas.

Lisbon Investment Summit

Euronext & #nobullshit @LIS 2018
Pelo terceiro ano consecutivo a Euronext associou-se ao Lisbon Investment Summit (LIS), ou, de acordo com os organizadores: a surprisingly informal and slightly unexpected startup conference.

Mais de 200 investidores, 750 star-ups, 400 empresas, 200 participantes e 100 oradores ao longo de dois dias enérgicos, em que a Euronext contatou e reuniu com promissores futuros emitentes, que sabem que a Euronext pode vir a ser um parceiro no financiamento do crescimento de algumas destas empresas

Se o Unicorner (stand) da Euronext não passou despercebido, o Fire Side Chat em que o Presidente do Conselho de Administração da Euronext participou, também não: Paulo Rodrigues da Silva abordou o tema Fintechs e a sua importância para os mercados de capitais.

Este apoio ao LIS’18 enquadra-se no investimento do grupo Euronext em ações dedicadas a empresas tecnológicas. Saliente-se, por exemplo, o programa TechShare que, gratuitamente, e com o acompanhamento de especialistas experientes na mais diversas áreas relacionadas com o mercado de capitais, procura capacitar empresas deste sector para virem a utilizar o mercado de capitais nas suas estratégicas futuras de financiamento, crescimento e internacionalização.

As inscrições no programa TechShare vão agora começar. Os parceiros em Portugal para a edição 2018 são o BPI, a CorpCom, a KPMG e a MLGTSS. Peça mais informação AQUI.

Euronext Dublin: bem-vindos!

Fáilte Euronext Dublin!

A Euronext Dublin é a mais recente integração no universo de Bolsas Euronext. A aquisição constitui um marco importante na expansão do modelo federal da Euronext, permitindo reforçar o seu posicionamento no contexto pós-Brexit, no âmbito da estratégia pan-europeia do Grupo.

O negócio surge em linha com a missão de usar o mercado de capitais pan-europeu para financiar a economia real e a sua estratégia a longo prazo, demonstrando a capacidade da Euronext para receber praças financeiras independentes.

A bolsa da Irlanda tem 51 empresas cotadas, com uma capitalização bolsista conjunta de 122 mil milhões de euros. É ainda um dos principais mercados mundiais para a negociação de obrigações e de fundos de investimento. Existem mais de 30 mil títulos de dívida cotados em Dublin, correspondentes a entidades de mais de 90 países. E estão nesse mercado mais de cinco mil fundos de investimento e 227 ETF (exchange-traded funds).

Link para Comunicado de Imprensa

Primeiro Aniversário da Euronext Technologies

A Euronext Technologies está de parabéns. Não só porque celebrou um ano de atividade, mas também porque tem feito um trabalho de excelência, não só para o mercado português, mas para todo o universo de bolsas Euronext (Amesterdão, Bruxelas, Dublin, Lisboa, Londres, e Paris), e ainda o desenvolvimento de software para terceiros.

Os desafios têm sido muitos, mas as conquistas também. Atualmente são 150 as pessoas que fazem parte desta equipa, situada no Porto, e que, em conjunto coma Euronext Lisbon e a Interbolsa, fazem de Portugal uma das localizações com o maior número de colaboradores no Grupo Euronext.

Cibersegurança, Desenvolvimento, Engenharia (Administração de sistemas, bases de dados, redes, firewall), e Soluções Tecnológicas (nomeadamente a plataforma de negociação OPTIQ®), são os nomes simplificados de parte do trabalho desenvolvido por esta jovem equipa, que continua a crescer.

Optiq®: a nova plataforma já está operacional para os mercados Euronext

Foi a 10 de Julho que a Euronext anunciou que a sua nova plataforma de negociação global, Optiq®, já está operacional nos mercados de Cash.

Tratando-se de uma plataforma multiproduto e multimercado, o Optiq® assegura uma performance superior, não só no que diz respeito à capacidade, mas também previsibilidade de latência (média de 15 microssegundos por ordem), traduzidos em desenvolvimentos mais rápidos e eficientes, maior facilidade de implementação de novos produtos e serviços, e novas funcionalidades para os nossos Clientes.

Desde que ficou online (no dia 25 de Julho de 2018), o Optiq® já recebeu mais de 14 mil milhões de mensagens e 18.8 milhões de negócios.

A introdução do Optiq® nos mercados de Cash segue a implementação da Market Data Getaway em Julho de 2017 e a migração de instrumentos de fixed income para a plataforma em Abril de 2018. O passo final será a implementação do Optiq® para o mercado dos Derivados, marcada para o início de 2019.

Saiba mais sobre a plataforma Optiq®

Interbolsa obtém autorização ao abrigo da CSDR

A INTERBOLSA foi notificada pela CMVM - Comissão do Mercado de Valores Mobiliários - que, com efeitos a partir de 12 de julho de 2018, lhe foi concedida autorização para operar de acordo com o novo Regulamento Europeu das CSDs (CSDR). A INTERBOLSA está entre as primeiras CSDs da UE a ser reautorizada ao abrigo da CSDR.

A INTERBOLSA submeteu o seu processo de autorização ao abrigo da CSDR em setembro de 2017, tendo obtido a declaração de completude do processo em janeiro de 2018. O processo de aprovação foi realizado em estreita cooperação com a CMVM, bem como com o Banco de Portugal e o Banco Central Europeu.

Convite: Visite o novo espaço web dedicado às soluções tecnológicas da Euronext

A Euronext reformulou o seu micro-site dedicado à oferta de Soluções Tecnológicas.

Convidamo-lo(a) a visitar esta nova área, com acessos mais diretos e rápidos, mais orientada para as diferentes audiências, e com ligação imediata aos respetivos serviços prestados.

Visite-nos AQUI e aceda a:

Euronext: muito mais para oferecer

O Grupo Euronext apoia continuamente as empresas cotadas na sua atividade corrente, quer através de serviços ou ferramentas que aumentem a visibilidade junto dos investidores, quer mediante instrumentos que facilitem algumas tarefas internas das empresas, ao nível administrativo ou de compliance. Nesse âmbito, tem vindo a inovar o leque de produtos e possibilidades abertas às empresas, nomeadamente com os serviços da Webcast, ferramentas de apoio aos Investor Relations, disponibilização de cotações nos websites das empresas, Board Portal ou Listas de Insiders. Estes serviços têm gerado muita curiosidade e interesse, com 3 contratos já assinados com empresas cotadas.

EURONEXT BLOCK
Desde a implementação da MiFID II, que o Euronext Block tem estado a receber as suas primeiras vagas de membros. O nosso novo MTF pan-Europeu oferece negociação large-in-scale em mais de 3,200 instrumentos de equity. Com novas e aperfeiçoadas funcionalidades, tais como “Messaging Invitation-to-Trade” e o lançamento do nosso Programa “Nominated Client”, o Euronext Block encontra-se muito bem posicionado para oferecer melhorias de preço e de profundidade, tanto para os participantes de buy-side, como de sell-side.
www.euronext.com/blockmtf

EURONEXT SYNAPSE
Aliando a experiência da Euronext na gestão de mercados com funcionamento equitativo, ordenado e transparente, com a tecnologia premiada e capacidade de inovação da Algomi, o Euronext Synapse é o novo MTF para blocos, concebido para obrigações ilíquidas e negócios sensíveis. O Euronext Synapse faz a ligação entre pools de liquidez e participantes de mercado, no âmbito de um novo mercado anónimo inter-dealers centralizado, abarcando dados históricos e em tempo real, para incrementar as oportunidades de negociação.
www.euronext.com/synapse

EURONEXT ETF ACCESS
Para corresponder às necessidades fragmentadas e opacas da indústria dos ETFs e dar vazão à crescente procura por parte dos investidores, a Euronext vai providenciar a todos os ETFs Europeus cotados, uma plataforma única pan-Europeia, concebida em parceria com a indústria ETF, que combina o livro de ofertas padrão, negociação NAV e a funcionalidade RFQ.
www.euronext.com/etf-one-stop-shop

FASTMATCH FX
A Euronext expandiu a sua oferta de produtos aos mercados de moeda estrangeira globais, graças à aquisição da FastMatch, o ECN em mais rápida expansão no mercados FX.
www.euronext.com/fastmatch-fx

GERMAN OPTIONS
Ganhe acesso a 15 das acções mais líquidas da Alemanha, através da nossa oferta abrangente de derivados, com underlyings Alemães: Opções, Futuros e Futuros Dividendos. Negociáveis através de um livro central de ordens ou via Atom-X para contratos flex à medida, com clearing via LCH S.A. e liquidação via Euroclear France.
https://derivatives.euronext.com/en/stock-options/german-options

MORNINGSTAR INDEX DERIVATIVES
Em parceria com a Morningstar, a Euronext criou dois novos índices low-cost e instrumentos de derivados correspondentes, para a criação de produtos com uma relação de custo eficiente, benchmarking e gestão de risco. A nova oferta Morningstar® Eurozone 50 IndexSM oferece aos participantes de Mercado exposição aos movimentos de preço das 50 maiores acções Europeias, através de um contrato único. Uma alternativa competitiva, com custos de transação aproximadamente 40% mais baixos que o benchmark Europeu actual e oportunidades para compensação de margens contra os futuros do CAC 40 e do AEX através da LCH S.A.
https://derivatives.euronext.com/en/morningstar-derivatives

APA/ARM
No enquadramento da MiFID II, os serviços de reporte de negociação (APA) e de transações (ARM) cobrem todos os instrumentos reportáveis e asseguram total observância no novo quadro regulatório. O serviço é flexível, com interface baseado na internet via API (Interfaces de Programação de Aplicação) e GUI (Interface Gráfico do Utilizador) para entrega e gestão dos relatórios. O reporte APA é distribuído via XDP, e as transações enviadas a todos os reguladores-chave. Inclui transparência pré-negociação.
www.euronext.com/apa-arm

EURONEXT FUND SERVICES
Graças a um listing STP e modelo de negociação na Bolsa, este serviço permite a asset managers cotar facilmente fundos abertos na Euronext Paris e Amesterdam, e facilita ao buy-side de todo o mundo, o investimento nos fundos através do seu broker.
www.euronext.com/funds

Comité para o Desenvolvimento do Mercado

Constituído por investidores, intermediários financeiros, empresas emitentes, reguladores e outros agentes participantes no mercado, o Comité para o Desenvolvimento do Mercado constitui um fórum privilegiado de discussão da atividade da Euronext em Portugal, focando em desenvolvimentos para o futuro

No passado dia 7 de junho, este grupo de representantes do ecossistema financeiro reuniu-se com uma agenda compreensiva, das quais se destacam os seguintes temas:

  1. Acrescentar valor no serviço aos emitentes: desenvolvimento pela Euronext de uma nova oferta de Corporate Services dedicada aos emitentes.
  2. Promoção e desenvolvimento do mercado - alargar a base de emitentes: as iniciativas para o sector tecnológico, para as empresas familiares e o programa Finance for Growth.
  3. Atualização da infraestrutura tecnológica e cumprimento dos requisitos regulatórios: calendário da implementação da nova plataforma de negociação Optiq®, com o mercado a contado a migrar para esta plataforma no final de junho.
  4. Aquisições e parcerias com impacto relevante na estrutura da oferta da Euronext, designadamente a aquisição da Bolsa da Irlanda e os Indices Morningstar Euronext para a Europa.
  5. Greenbonds: um mercado em crescimento, uma opção de financiamento para empresas e soberanos.

As preocupações, sugestões e recomendações levantadas neste grupo de trabalho são incorporadas no planeamento de ações futuras da Euronext Lisbon, e fazem parte da convicção da Bolsa de que o diálogo aberto.

Finance For Growth

Lançado no Porto a 25 de maio, o Finance for Growth é um programa inovador e abrangente, que se destina a apoiar as empresas mais ambiciosas, dinâmicas e inovadoras, na sua próxima etapa de crescimento e internacionalização.

É um programa de informação e capacitação, com enfoque nos modelos de financiamento que melhor servem as estratégias de crescimento, internacionalização e inovação.

Com uma abordagem integrada do modelo de negócio, tem como objetivo proporcionar uma experiência muito aplicada, com o envolvimento de investidores/financiadores, especialistas de mercado, analistas, auditores, universidade e reguladores.

O Finance for Growth é promovido pelas duas mais relevantes associações empresariais em Portugal, a AEP e a AIP, e conta com o apoio principal da CGD, e também da Euronext e da IFD.

Em síntese, apresentam-se as principais vantagens de adesão para as empresas.

Prevê-se que o programa detalhado bem como as condições de inscrição do Finance for Growth seja divulgados no terceiro trimestre. Se pretender mais informação sobre a iniciativa, ou registar-se para receber atualizações, pode consultar http://www.financeforgrowth.org.pt/ ou enviar mensagem para FinanceForGrowth@AEPortugal.pt

World Investor Week

Euronext volta a associar-se a CMVM na celebração da Semana Mundial do Investidor (World Investor Week 2018)

É com muito prazer que a Euronext aceitou o desafio da CMVM para participar, juntamente com outros parceiros do ecossistema, na Semana Mundial do Investidor 2018.

Esta é a segunda edição da iniciativa, promovida pela Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO, em inglês), da qual a CMVM é membro, e que tem como objetivo promover, mundialmente, a educação e proteção dos investidores.

À semelhança da edição de 2017, as Comissões de Valores que integram a IOSCO vão desenvolver atividades em todo o mundo, incluindo o lançamento de serviços e ações de comunicação para investidores, a realização de concursos para ampliar o conhecimento sobre iniciativas de educação de investidores, a organização de oficinas e conferências e a promoção de campanhas, locais e nacionais, em cada jurisdição.

Em breve a CMVM estará a divulgar o tema e o programa desta sua iniciativa para o ano 2018.

Consulte aqui a página da IOSCO referente à edição 2017: www.worldinvestorweek.org

Performance do Mercado

Negociação

Ações
No primeiro semestre de 2018, o valor transacionado acumulado em ações aproximou-se dos €13 mil milhões, uma queda de 5% face ao mesmo período do ano passado. Na variação em cadeia, registou um aumento de 18%.

Obrigações
O total de obrigações transacionadas subiu 243% para €823 milhões nos primeiros seis meses deste ano, em comparação com o período homólogo de 2017. Na variação em cadeia, verificou-se uma diminuição de 18%.

ETF
A negociação de ETF somou até ao final do primeiro semestre de 2018 mais de €18 milhões, uma subida de 25% face ao mesmo período do ano passado.

Warrants e Certificados
A evolução dos W&C entre Janeiro e Junho de 2018 foi negativa, tendo o volume negociado descido 29% para €391 milhões face aos mesmos meses de 2017. Em termos de evolução em cadeia, registou-se uma diminuição de 30%

Índices

Futuro sobre o índice PSI 20
A quantidade negociada do Futuro sobre o índice PSI 20 registou no primeiro semestre de 2018 uma queda de 29% para 68 mil contratos, face ao período homólogo de 2017.

Índice PSI 20
Na primeira metade de 2018 o PSI20 valorizou 3% terminando o período com 5.528,5 pontos.

Novas Admissões

Confira na tabela as admissões realizadas no primeiro trimestre de 2016 na Bolsa Portuguesa

1º Semestre 2018

ACÇÕES - AUMENTOS DE CAPITAL
Data Admissão Denominação Código ISIN Montante Nominal
07/02/2018 ISA PTIAN0AM0001 11 218
OBRIGAÇÕES - NOVAS EMISSÕES
Data Admissão Denominação Código ISIN Prazo (Anos) Taxa de Juro Montante Nominal
09/01/2018 HIPOTOT FRN23OUT72 PTGMMBOM0001 54 Euribor 3 meses + 0,6% 1 716 000 000
17/01/2018 OT 2,125%17OCT28 PTOTEVOE0018 10 2,125% 4 000 000 000
02/03/2018 BPI FRN 2MAR23 PTBPITOM0017 5 Euribor 3 meses + 0,4% 300 000 000
18/04/2018 OT 2,25%18APR34 PTOTEWOE0017 16 2,250% 3 000 000 000
04/06/2018 CELBI FRN 28MAY28 PTBINMOM0008 10 Euribor 6 meses + 2,4% 50 000 000
06/06/2018 FCP 4,75% 7JUN21 PTFCPROM0003 3 4,750% 35 000 000
21/06/2018 EVORA FRN 30NOV37 PTHEFTOM0009 19 Euribor 6 meses + 2% 123 000 000
27/06/2018 VOLTAVI1,1%13FEB23 PTTGCSOM0007 5 1,100% 650 000 000
27/06/2018 VIOL A3,14%15JUN25 PTVS1COM0003 7 3,140% 164 000 000
27/06/2018 VIOLAS B FRN15JUN25 PTVS1DOM0002 7 Euribor 12 meses + 2,25% 164 000 000
28/06/2018 SAUDACORFRN28JUN23 PTSDRFOM0009 5 Euribor 6m + 1,7% 65 000 000
OBRIGAÇÕES - AUMENTOS DE EMISSÕES
Data Admissão Denominação Código ISIN Prazo (Anos) Taxa de Juro Montante Nominal
16/02/2018 OT 2.2% 17OCT22 PTOTESOE0013 4 2,200% 490 000 000
16/02/2018 OT 2,125%17OCT28 PTOTEVOE0018 10 2,125% 821 042 000
16/03/2018 OT 2,125%17OCT28 PTOTEVOE0018 10 2,125% 975 000 000
11/05/2018 OT4,95%25OCT23 PTOTEAOE0021 5 4,950% 724 000 000
11/05/2018 OT 2,125%17OCT28 PTOTEVOE0018 10 2,125% 483 000 000
15/06/2018 OT4,95%25OCT23 PTOTEAOE0021 5 4,950% 412 000 000
15/06/2018 OT 2,125%17OCT28 PTOTEVOE0018 10 2,125% 588 000 000

Principais Eventos 1º Semestre 2018

18 de julho – Oferta Pública de Subscrição de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV)

Mil milhões de euros em Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (ORTV), dirigidas ao público em geral, foram emitidas pelo Estado. A oferta, processada pelo Serviço de Centralização de Ordens da Euronext Lisbon, e responsável pelo apuramento de resultados, foi subscrita por mais de 62 mil investidores, tendo superado a procura em 1,75 vezes. Saliente-se que a estimativa inicial do IGCP para esta emissão era de 500 milhões de euros, tendo decidido duplicar o montante, face à procura registada.

16 de julho – Obrigações Benfica

Sessão de Apresentação de Resultados da Oferta pública de subscrição e de admissão à negociação na Euronext Lisbon de obrigações nominativas, escriturais, representativas do empréstimo obrigacionista "BENFICA SAD 2018-2021. Resultados da oferta aqui

13 de julho – Oferta Pública de Venda de Ações da Raize

Sessão de Apresentação de Resultados da Oferta Pública de Venda de Ações da Raize.

A Raize concretizou o seu IPO com uma dispersão de 15% do capital através de uma oferta pública que culminou com a entrada de mais de 1.400 novos pequenos investidores no seu capital, que efetuaram pedidos de subscrição equivalentes a 3.7x a oferta.
Mais informação aqui.

4 de junho - Obrigações Porto

Sessão de Apresentação de Resultados da Oferta pública de subscrição e de admissão à negociação na Euronext Lisbon da Euronext Lisbon, de obrigações nominativas, escriturais, representativas do empréstimo obrigacionista "FC PORTO SAD 2018-2021”. Resultados da oferta aqui

6 e 7 de junho - Euronext & #nobullshit @LIS’2018

A Euronext Lisbon apoiou, pelo terceiro ano consecutivo, o Lisbon Investment Summit (#LIS’18). O evento, organizado pela Beta-I, e que este ano decorreu no Hub Criativo do Beato, reúne investidores de topo na Europa, empreendedores e executivos, e é descrito como “uma conferência para start-ups, surpreendentemente informal e ligeiramente inesperada”.

1000 start-ups, 250 investidores, 500 empresas e mais de 100 oradores provenientes de cerca de 50 países compuseram os dois dias do evento, onde a Euronext teve oportunidade de mostrar que pode ser um parceiro para o crescimento sustentável destas empresas.

Mais informações aqui

25 de maio - Anúncio do Programa Finance For Growth

A AEP e AIP, com o apoio da CGD, IFD e Euronext, apresentaram, no dia 25 de maio, no Edifício de Serviços da AEP, em Leça da Palmeira, o Finance for Growth, um programa que pretende apoiar as empresas mais ambiciosas e inovadoras nas suas etapas de crescimento e internacionalização. A iniciativa, que se desenvolve no âmbito do Programa Capitalizar, contou com a presença do Ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, e do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e dos representantes das associações organizadoras e promotores desta iniciativa.
Informação sobre o programa aqui.
Mais informação aqui.

22 de maio - Cerimónia de entrega dos prémios APFIPP “Melhores Fundos 2018”

Jantar da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Património

A Euronext voltou a apoiar a APFIPP neste importante evento em que são distinguidas as entidades no âmbito de:

  • Gestão nacional de OICVM e OIAVM
  • Gestão nacional de OII
  • Gestão nacional de Fundos de Pensões Abertos
  • Dissertação Académica
  • Personalidade do Ano

Esta foi já a 4ª edição do certame que reúne entidades ligadas à indústria de fundos nacional.

7 de maio – Cerimónia de entrega dos Prémios GIC

A Euronext acolheu os vencedores do Global Investment Challenge - uma competição organizada pelo Expresso e a SDG, apoiada pela Euronext e cujo objetivo é contribuir para a literacia financeira dos portugueses.

Esta que foi a sua sexta edição começou a 31 de janeiro com cerca de 1100 participantes.

Através da plataforma de simulação disponibilizada pelo Banco Best os participantes tiveram a oportunidade comprar e vender diversos produtos tais como como ações ou CFD.

No final das dez semanas de prova, na categoria geral, o participante com o nickname jota007 sagrou-se campeão, tendo obtido uma valorização da sua carteira de 341.114,27 euros. Ainda nesta categoria, mas na segunda posição ficou o concorrente com o nickname Diogo1983 com 217.290,89 euros e em terceiro o participante com o nickname MariajJaoD com 214.651,80 euros. Já na categoria de estudantes a vitória foi obtida pelo participante com o nickname Rodrigo255 que conseguiu uma valorização da sua carteira de 340.314,95 euros. A segunda posição foi para o concorrente com o nickname Gachineiro que atingiu os 233.852,66 euros e em terceiro o participante com o nickname Nuno_pereira com 176.349,03 euros.

Os vencedores das duas categorias receberam como prémio uma viagem à Euronext Amsterdam (a bolsa do grupo Euronext a operar nos Paíse Baixos.

26 de abril – 30 anos da Corticeira Amorim

O 30º aniversário da admissão da Corticeira Amorim em Bolsa foi assinalado no dia 26 de Abril, numa sessão contou com a presença do Presidente do Conselho de Administração da Euronext Lisboa, Paulo Rodrigues da Silva, e do Presidente do Conselho de Administração da Corticeira Amorim, António Rios de Amorim, tendo o encerramento sido realizado pela Secretária de Estado da Indústria, Ana Teresa Lehmann.

Recorde-se que a abertura em bolsa do capital da Corticeira Amorim teve lugar em abril de 1988, a que se seguiram a Ipocork e a Amorim & Irmãos, em junho, e a Champcork, em julho. Um ano mais tarde, foi lançada uma oferta pública de troca de ações da Corticeira Amorim pelos títulos das restantes empresas.

27 de março – Conclusão da aquisição da Irish Stock Exchange

Em novembro de 2017 a Euronext chegou a um acordo para a aquisição da Irish Stock Exchange (ISE), tendo concluído o negócio a 27 de março de 2018, após cumpridos todos os processos legais e regulatórios. Esta aquisição é particularmente relevante pois representa a primeira extensão do modelo federal desde a criação da Euronext, com a entrada de mais uma bolsa europeia na plataforma comum, bem como o posicionamento numa localização potencialmente importante para uma Europa pós-Brexit.

15 de março – 1º Aniversário do Centro Tecnológico do Porto

Foi com entusiasmo que a equipa Euronext celebrou o primeiro aniversário de presença em Portugal, concretamente no Porto. O centro acolhe o desenvolvimento de muitas das competências do Grupo Euronext (Portugal, França, Holanda, Bélgica e Irlanda) respeitantes a IT e Cyber Security (ocupando a Euronext um dos lugares cimeiros, a nível mundial, nesta matéria); é também aqui que foi desenvolvido o novo sistema de negociação - Optiq®, que serve não só as bolsas do próprio Grupo Euronext, como outras bolsas que optem por esta solução.
Com a abertura deste centro, foram criados cerca de 150 novos postos de trabalho, número esse que superou as previsões iniciais devido à qualidade dos profissionais recrutados e consequente alargamento das competências inicialmente desenhadas para serem desenvolvidas em Portugal.
Ver mais aqui

10 de Março - Techshare: Fecho do ano lectivo 2017-2018

Seis tecnológicas portuguesas participaram na edição 2017-2018 do programa TechShare, a iniciativa que faculta formação vocacionada para start-ups tecnológicas, com o intuito de as preparar para o financiamento via mercado de capitais.
O programa que tem a duração de um ano e que inclui workshops e sessões individuais, teve a sua última sessão deste ano letivo na Vlerick Business School, em Bruxelas, no dia 21 de maio.

20 de fevereiro - Via Bolsa / Awards 2018

Growth is back foi o tema da 2ª edição conjunta da conferência Via Bolsa e Euronext Lisbon Awards 2018.
E não só de dinheiro se falou no Museu do Dinheiro. Next Investment: produtos financeiros de mercado; Next Step: capital aberto ou private equity?; e Next Regulation: a regulação e o futuro do sistema financeiro foram as discussões que decorreram entre as intervenções do Governador do Banco de Portugal (abertura) e do Ministro-Adjunto (Encerramento).
Paulo Cruz do Millennium BCP, Paulo Freire de Oliveira do Banco BPI, Rui Broega, do Banco de Investimento Global debateram a relevância e as principais tendências futuras da aplicação de poupanças de médio e longo prazo em produtos financeiros que investem em ativos de mercado, alternativos aos depósitos bancários (fundos de investimento, fundos de pensões, ETFs).
João Talone da Magnum Investment Partners e Rodrigo Costa da REN abordaram as considerações estratégicas e implicações da decisão de abrir o capital (em mercado ou a um private equity); financiar/acelerar o crescimento, equilíbrio nas fontes de financiamento, governo e controlo, solução problemas de sucessão, fusões e aquisições, parcerias estratégicas, entre outros assuntos.
Elisa Ferreira do Banco de Portugal e Paulo Câmara da Sérvulo e Associados conversaram sobre o sistema financeiro europeu- e o português em particular, os modelos e regras de governo das instituições financeiras, as alterações regulatórias já implementadas, bem como como as que se perspectivam e consequentes alterações ao modelo de negócio bancário.
António Costa, Publisher do ECO – Economia Online conduziu a conferência em que se distinguiram, através da atribuição dos Euronext Lisbon Awards, emitentes, intermediários financeiros, e outras instituições e pessoas que, em 2017, se destacaram no mercado de capitais.
Mais informação aqui

Euronext e B2Run: Equipa vencedora!

É com muito gosto que a equipa Euronext em Portugal (Euronext Lisbon, Interbolsa e Euronext Technologies) se associa pelo terceiro ano consecutivo à B2Run.
Pela primeira vez a corrida será dividida em duas partes: Lisboa (27 de Setembro, Estádio do Jamor) e Porto (18 de Outubro, Pavilhão Multiusos de Gondomar).
O sino da Euronext assinalará, uma vez mais, a partida desta que é a maior corrida das empresas

Sobre a B2Run
A B2Run é um sucesso internacional com mais de 10 anos tendo nascido na Alemanha no Estádio Olímpico de Munique e desenvolvendo-se depois pelos principais países do centro da Europa. Em 2016 contou com 34 corridas e 230.000 participantes.

O conceito é simples: uma festa para empresas com uma corrida de 5 Km, realizada ao redor de um grande estádio ou arena da cidade, que termina de forma apoteótica com uma entrega de prémios com pompa e circunstância e música em ambiente de networking e convívio. Concebido para o mundo empresarial, não é vendido a participantes individuais mas sim a empresas. Realiza-se durante a semana, a uma quinta-feira ao final da tarde. Alia a prática desportiva informal ao ambiente empresarial e de teambuilding, com diversos momentos de lazer e entretenimento.

A B2Run aposta no desporto para mudança positiva de mentalidades. As pessoas fazem toda a diferença nas organizações e as empresas de sucesso percebem a importância do equilíbrio entre a mente e o físico. O ambiente informal é favorável ao estreitar de relações e negócios, além das vantagens em promover a atividade física com todos os benefícios para a saúde, bem-estar e produtividade das equipas.

Portugal acolhe o evento pela terceira vez em 2018, organizado pela agência Case Imagine que procurará acrescentar criatividade e dando um cunho pessoal. Para além da prova, existirão diversos momentos de ativação de marcas e entretenimento.

Mais informação sobre a B2Run AQUI

World Investor Week

Euronext volta a associar-se a CMVM na celebração da Semana Mundial do Investidor (World Investor Week 2018)

É com muito prazer que a Euronext aceitou o desafio da CMVM para participar, juntamente com outros parceiros do ecossistema, na Semana Mundial do Investidor 2018.

Esta é a segunda edição da iniciativa, promovida pela Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO, em inglês), da qual a CMVM é membro, e que tem como objetivo promover, mundialmente, a educação e proteção dos investidores.

À semelhança da edição de 2017, as Comissões de Valores que integram a IOSCO vão desenvolver atividades em todo o mundo, incluindo o lançamento de serviços e ações de comunicação para investidores, a realização de concursos para ampliar o conhecimento sobre iniciativas de educação de investidores, a organização de oficinas e conferências e a promoção de campanhas, locais e nacionais, em cada jurisdição.

Em breve a CMVM estará a divulgar o tema e o programa desta sua iniciativa para o ano 2018.

Consulte aqui a página da IOSCO referente à edição 2017: www.worldinvestorweek.org.

P-Bio: Open Innovation Day

A Euronext volta a associar-se à P-BIO na promoção de um Open Innovation Day.

Este ano a P-BIO juntou-se a uma empresa Finlandesa - a Source, para a organização do evento SMASH Iberia - a decorrer em Lisboa 8 e 9 de outubro) e Madrid (10 e 11 de outubro).

Em Portugal, o evento pretende reunir empresas Portuguesas e Finlandesas de forma a estreitar laços e procurar oportunidades para o Sector da Saúde.

Originário da Finlândia, o SMASH chega pela primeira vez à Península Ibérica com o objetivo de fomentar a criação de laços entre os setores dos cuidados de saúde e bem-estar da Finlândia e da Península Ibérica, aumentando as oportunidades de negócio entre estas duas áreas nestes setores.

São esperadas entre 20 e 30 empresas finlandesas que acompanharão o roteiro do SMASH Iberia neste primeiro evento a nível mundial que promove a interação entre o bem-estar, os cuidados de saúde, o desporto, e a tecnologia.

Paulo Rodrigues da Silva, CEO da Euronext em Portugal, marcará presença no dia 9 de outubro, às 9:45, na AESE Business School para debater os “Sistemas de Financiamento para empresas inovadoras na área das Lifescience”.

Mais informação no link: http://smashevents.fi/iberia/

Save the date

Tech Satellite Event | Pavilhão do Conhecimento
5 de novembro | 19H-22H

No final do primeiro dia do Web Summit, a Euronext junta empresas tecnológicas e parceiros, para um network cocktail no Pavilhão do Conhecimento, com o objetivo de trocar experiências e estreitar relações.

Save the date

Via Bolsa & Euronext Lisbon Awards 2019 | 19 de fevereiro| Museu do Dinheiro

19 de fevereiro é a data para a próxima edição do Via Bolsa & Euronext Lisbon Awards 2019, o evento da Bolsa Portuguesa que tem como objetivo debater temas relacionados com o investimento, a diversificação das fontes de financiamento e a poupança,  e tem como audiência-alvo empresas Emitentes, cotadas e não cotadas, intermediários financeiros, investidores institucionais, advogados, consultores, auditores, reguladores e associações ligadas ao sector empresarial e financeiro.

Em simultâneo, decorrerá ainda a entrega dos Euronext Lisbon Awards em que são destacadas entidades ou pessoas que se tenham destacado na área Mercado de Capitais em 2018.

Consulte aqui informação sobre a edição 2018