Newsletter Trimestral - T4 2015

Not all stones are diamonds, but all diamonds are stones“Nem todas as Pedras são Diamantes, mas todos os Diamantes são Pedras”

No âmbito das intervenções em eventos realizados, quer pela Euronext, quer por outras entidades, tenho recorrido algumas vezes à expressão “ … enquanto alguns mostram pedras como se fossem diamantes, em Portugal temos uma maior tendência a mostrar os nossos diamantes como pedras …” e pareceu-me que esta expressão poderia ser igualmente utilizada para título desta Newsletter, ainda que com algumas adaptações.

O motivo principal da escolha do título, prende-se com a convicção profunda (e partilhada) de que, no nosso País, temos de facto, a vários níveis, incluindo o empresarial, autênticos “Diamantes” que, estando ainda como “Pedras”, carecem de um adequado polimento, para que mostrem todo o seu brilho e sejam devidamente valorizados.

Acredito que o mercado de capitais e, dentro deste, o mercado de Bolsa, pode ser um importante instrumento de “polimento” dos diamantes que existem em bruto no nosso universo empresarial.

É muito provável que se os diamantes falassem, poderíamos ouvir as suas queixas em relação à exigência (e às vezes até dureza) do processo de polimento. No entanto, seguramente, no final do processo, também reconheceriam que o mesmo teria valido a pena e reagiriam com enorme satisfação ao resultado final.

Este editorial tem como propósito reforçar o convite a que mais empresas aceitem e se envolvam activamente no processo de libertarem todo o seu potencial e que para tal possam reconhecer, no mercado de capitais, quer um instrumento de “polimento” quer uma “montra” com a capacidade de as projectar nacional e, sobretudo, internacionalmente nos planos financeiro, económico e institucional.

O recurso ao mercado de capitais tende a ser percepcionado como um processo muito exigente e, por isso, limitador ou inibidor da vontade de muitas empresas seguirem esse caminho. Não obstante, é por todos bem sabido que não há fórmulas mágicas que permitam atingir resultados relevantes e duradouros, sem aceitar níveis acrescidos de esforço e de exigência.

Não posso igualmente deixar de sublinhar, o quão importante é envolver todos os intervenientes no ecossistema, no sentido de mobilizarem e apoiarem mais empresas a seguir o caminho atrás referido.

Ainda que o mercado de capitais seja um local fértil em termos técnicos, muitas vezes indecifráveis, não apenas para o cidadão comum mas para muitos agentes económicos com posições de relevo no meio empresarial, tal não deve funcionar como uma barreira que impeça perceber e tirar partido do que de muito positivo ele pode oferecer, de modo a que, tão rapidamente quanto possível, possamos ter muitos mais diamantes empresariais a mostrar todo o seu brilho.