Newsletter Trimestral - T3 2015

Quarterly NewsletterA ponta do Iceberg

“A ponta do Iceberg” é uma expressão que tem sido utilizada com frequência pela Bolsa Portuguesa, com o propósito de ilustrar que a componente visível diariamente na Bolsa (normalmente o sobe e desce das cotações) é apenas uma pequena parte de uma realidade muito mais ampla, ainda que menos visível e que tem na sua base, um leque muito variado de factores (tais como a envolvente económica, fiscal, regulatória, jurídica, cultural, etc.).

Entendemos que a referida expressão também se aplica à actividade desenvolvida pela Bolsa Portuguesa e pelo Grupo Euronext, em prol dos diferentes mercados em que operam e que procuram servir.

Apesar de muito do que é feito pela Bolsa (seguramente a maior parte) não chegar a ser visível pelos vários intervenientes no “ecossistema”, ao iniciarmos a publicação da Newsletter, não pretendemos criar um instrumento cujo objectivo principal seja a promoção da própria Bolsa.

O propósito que nos move é, sobretudo, o de sintetizar, regularmente, os aspectos principais da actividade com intervenção directa ou indirecta da Bolsa Portuguesa (ou do Grupo Euronext) com relevância para os vários participantes no nosso mercado (emitentes, intermediários financeiros, investidores, reguladores, etc.).

A “ponta do Iceberg” é uma imagem que pode igualmente aplicar-se àquele que é porventura o maior desafio do tecido empresarial Português e à parcela desse desafio que tem sido satisfeita, através do mercado de capitais. Referimo-nos naturalmente às necessidades de capitalização das nossas empresas.

Partindo do paralelo atrás referido, seria para nós um motivo de particular satisfação se, tão brevemente quanto possível, e no que à capitalização das empresas diz respeito, pudéssemos assistir a uma inversão da situação, ao ponto de sermos forçados a rever o título da mensagem da Newsletter, porventura para “a base do iceberg”.

Winston Churchill, um dos mais famosos estadistas da história, disse um dia: “The more I look into the past, the better I see into the future”. Se acreditarmos nesta expressão e fizermos uma leitura atenta da história económica e financeira de Portugal, temos fortes razões para acreditar na importância que o mercado de capitais pode e deve ter, como meio de suporte ao nosso desenvolvimento económico e social.

Ainda que a imagem da “ponta do Iceberg” possa perdurar, partilharemos convosco, regularmente, o que de mais relevante acontecer em Portugal e no Grupo, com a expectativa de que todos possamos ser testemunhas e intervenientes, no reforço do papel do mercado de capitais, no futuro das nossas empresas e do nosso País.