Como funcionam os Futuros?

Ao adquirir um contrato de futuros, o investidor entra num contrato para a compra de um determinado ativo numa data futura e a um preço acordado hoje.

Da mesma forma que ao vender  um futuro, o investidor entra num contrato para a venda de um determinado ativo numa data futura e a um preço acordado hoje.

Todos os futuros são produtos negociados em Bolsa e estandardizados, em termos de:

  • Data de vencimento;
  • Dimensão do contrato (“quantidade equivalente do ativo” subjacente);
  • Termos do contrato.

Os contratos de futuros podem ter liquidação financeira ou física. A maioria dos futuros sobre ações ou índices acionistas tem liquidação financeira, pelo que na data de vencimento há lugar ao pagamento de um montante em dinheiro, fruto da diferença entre o preço inicial do futuro e o preço do ativo subjacente na maturidade do contrato.

Os contratos de futuros podem ser comprados e vendidos livremente desde o momento da aquisição até ao seu vencimento (momento em que o ativo subjacente deverá ser entregue ou que haverá lugar à liquidação financeira). O valor destes contratos varia durante esse tempo, refletindo as alterações de preço do ativo subjacente.

Os futuros são instrumentos alavancados, uma vez que a assunção de posição inicial não envolve uma grande disponibilidade de capital, mas sim um montante inferior ao investimento total -  margem.